Patativa

Veja, essa poesia do Menestrel Roberto Diamanso, numa típica cantoria nordestina... Um Clamor da Criação...



Patativa
Roberto Diamanso



Xô, patativa do galho de pau
Tiraram a mata daqui
Só resta a ti ir embora

Xô, patativa do galho de pau
Tiraram a mata daqui
Já me botaram na gaiola

Diga lá a azulão
Que não me sai da lembrança
Aquela nossa festança
Na sombra do juazeiro

Mas o perigo chegou
Liga na fonte, laço no ninho
Morre quem chegar primeiro

Xô, patativa do galho de pau
Tiraram a mata daqui
Já me botaram na gaiola

Xô, patativa do galho de pau
Tiraram a mata daqui
Só resta a ti ir embora

Sinto que já dói no peito a saudade
Quem me dera poder ir
Tem jeito não, posso não
Te cuida dos alçapão, vai-te embora

Sinto que já dói no peito a saudade
Quem me dera poder ir
Tem jeito não, posso não
Te cuida dos alçapão, vai-te embora

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Flamengo in Indonesia

Conselhos para sobreviver ao mundo gospel.

Sobre o país que moro